O IMPACTO DAS EMBALAGENS NO MEIO AMBIENTE


REGISTRO DOI: 10.5281/zenodo.10463929


Gabriel Nascimento de Souza Paz1
Luana Marinho Neves2
Ricardo Nascimento Ferreira3


INTRODUÇÃO

Nos últimos anos, a conscientização ambiental tem ocupado um papel central em discussões globais sobre sustentabilidade, levando empresas e consumidores a repensar suas práticas e comportamentos. Nesse contexto, as embalagens, essenciais para proteger e apresentar produtos, tornam-se elementos-chave de análise devido ao seu impacto direto no meio ambiente. Este trabalho propõe uma investigação sobre a gestão sustentável de embalagens, explorando não apenas o cenário atual, mas também os desafios e oportunidades enfrentados pelas organizações na busca por práticas mais responsáveis.

A revisão bibliográfica inicial estabelece uma base teórica sólida, abordando o impacto ambiental das embalagens, estratégias inovadoras adotadas por empresas líderes e a interseção entre inovação e sustentabilidade. Analisamos casos exemplares, como a iniciativa ousada da Unilever de tornar todas as suas embalagens de plástico reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis até 2025, e a abordagem abrangente da Natura, que vai além das embalagens para incorporar práticas sustentáveis em toda a cadeia produtiva.

Os desafios que as organizações enfrentam ao adotar práticas sustentáveis na gestão de embalagens são consideráveis. O custo inicial associado a essa transição, a necessidade de educar os consumidores sobre a importância das escolhas sustentáveis e a adaptação contínua às regulamentações ambientais em evolução são apenas alguns dos obstáculos a serem superados. No entanto, dentro desses desafios, vislumbramos oportunidades significativas. Empresas que abraçam práticas sustentáveis não apenas fortalecem suas reputações, mas também encontram eficiências a longo prazo na gestão de embalagens e abrem portas para inovação e colaboração.

Este trabalho, ao finalizar a análise dos dados quantitativos e qualitativos, pretende oferecer insights valiosos para organizações que buscam não apenas cumprir normas ambientais, mas também destacar-se como agentes de mudança e responsabilidade ambiental. Ao explorar as complexidades da gestão sustentável de embalagens, esperamos contribuir para a construção de um futuro empresarial mais consciente e ecologicamente responsável.

Desenvolvimento

O estudo busca compreender questões relacionadas as embalagens e como sua influência na sustentabilidade ajuda a contribuir para a mitigação dos impactos ambientais. Compreender o papel crucial das embalagens na cadeia de suprimentos e no marketing empresarial, bem como sua significativa contribuição para resíduos e poluição ambiental. Ademais, a logística é identificada como uma área-chave em que práticas sustentáveis podem reduzir custos operacionais e minimizar impactos ambientais. Portanto, este artigo destaca a importância da gestão de embalagens na mitigação dos impactos ambientais e na promoção da sustentabilidade nas operações logísticas, considerando as implicações para as empresas e o meio ambiente.

1.1 EMBALAGENS E MEIO AMBIENTE

A embalagem de um produto é o principal elemento de conexão e de comunicação entre o consumidor, o produto e a marca. Portanto, a função primordial de uma embalagem é proteger o produto que ela contém. Isso envolve proteger o produto contra danos, contaminação, umidade, luz e outros fatores que possam afetar sua qualidade e segurança. Além disso, a embalagem pode facilitar o transporte, o armazenamento e o manuseio do produto. Atualmente, um terço do lixo doméstico é composto por embalagens. Ademais, a cadeia de suprimentos pode buscar diferentes soluções para as embalagens, com melhorias de proteção do alimento e alternativas inovadoras. O investimento em embalagens inovadoras contribui para superar as expectativas dos clientes, sempre oferecendo qualidade.

Segundo site Resíduo All:

[...] Estima-se que resíduos de embalagens provoquem anualmente a morte de mais de um milhão de aves e de outros 100 mil mamíferos marinhos. A produção da embalagem envolve gasto de energia e de matérias primas. Em muitos casos, a fabricação gera subprodutos nocivos e poluição. [...]. (Resíduo All, 2017).

Observamos que o descarte incorreto desse material gera diferentes impactos socioambientais. Por fim, podemos notar que a maior parte das embalagens não são encaminhadas para reciclagem. Por isso, o uso consciente desse tipo de material é muito importante. Por conta dos nossos hábitos de consumo, se atentar às embalagens dos produtos que consumimos é fundamental para reduzirmos a quantidade de plástico que desperdiçamos.

Em face desses desafios, percebemos que esses elementos desempenham um papel crucial na interação entre consumidor, produto e marca. A função primordial das embalagens é garantir a proteção do produto contra diversos fatores prejudiciais, desde danos e contaminação até umidade e luz, facilitando também seu transporte e armazenamento. No entanto, o impacto ambiental das embalagens torna-se evidente, com cerca de um terço do lixo doméstico sendo composto por esses materiais. O alerta do site Residuoall sobre a estimativa de mortes anuais de aves e mamíferos marinhos devido aos resíduos de embalagens destaca a urgência de abordar o problema. Além disso, a educação dos consumidores sobre o descarte adequado e a preferência por produtos com embalagens mais sustentáveis são passos essenciais para reduzir o desperdício de plástico e promover práticas mais responsáveis no consumo.

1.1.1 Impacto das Embalagens no Meio Ambiente

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) aponta que a humanidade produz mais de 2 bilhões de toneladas de lixo por ano. Mais de 78 milhões de toneladas de resíduos sólidos têm origem só no Brasil. Desse total, cerca de 14% são de plástico, o que torna o país o quarto maior produtor de lixo plástico no mundo, perdendo apenas para Estados Unidos, China e Índia.

Os números alarmantes que temos em mãos refletem uma realidade global que se estabeleceu em poucos anos. Nesse cenário, o aumento do poder aquisitivo da população e os significativos investimentos em novas fábricas e tecnologias emergiram como os principais impulsionadores do aumento da produção de plástico e, como resultado, da crescente demanda desse produto pela sociedade. Conforme o Ministério do Meio Ambiente estima que 1/3 do resíduo doméstico é composto por embalagens, sendo 80% delas descartadas após um único uso. Na Europa, dados indicam que embalagens representam 40% dos plásticos e 50% do papel. Reforçamos que a embalagem exerce diversas funções no comércio atual. Dentro deste contexto, de que maneira podemos tornar o uso de embalagens mais sustentável? A resposta reside na otimização e na seleção de materiais adequados.

A otimização das embalagens envolve a minimização do uso de materiais, o que leva a menos resíduos sólidos. Isso pode ser alcançado por meio do design de embalagens mais eficientes em termos de recursos, que utilizam menos material, sem comprometer a proteção dos produtos. Optar por materiais de embalagem mais sustentáveis é essencial. Isso inclui a utilização de materiais reciclados, biodegradáveis ou compostáveis, em vez de plásticos convencionais. Materiais como papel, papelão, vidro e metais são frequentemente considerados opções mais amigáveis ao meio ambiente. A escolha de materiais que podem ser facilmente reciclados e integrados de volta à cadeia de produção é fundamental. Além disso, incentivar os consumidores a reciclar as embalagens também são importantes para reduzir o impacto ambiental. Instruir os consumidores sobre como descartar adequadamente as embalagens e incentivar escolhas sustentáveis pode aumentar a conscientização e a adoção de práticas mais amigáveis ao meio ambiente. Em resumo, a otimização e a seleção de materiais adequados nas embalagens são essenciais para minimizar o impacto no meio ambiente. Essas práticas não apenas reduzem resíduos e a pegada de carbono, mas também contribuem para a preservação dos recursos naturais e a proteção do meio ambiente.

Dessa forma, a análise do impacto das embalagens no meio ambiente revela uma realidade preocupante, com a produção global de mais de 2 bilhões de toneladas de lixo anualmente, sendo o Brasil o quarto maior produtor de resíduos plásticos. Este cenário é impulsionado pelo aumento do poder aquisitivo e investimentos significativos em novas fábricas e tecnologias. No entanto, a resposta para tornar o uso de embalagens mais sustentável está na otimização e seleção criteriosa de materiais. A otimização, centrada na minimização do uso de materiais, conduz a menos resíduos sólidos, favorecendo o design de embalagens eficientes que utilizam menos material sem comprometer a proteção dos produtos.

Em resumo, a otimização e seleção de materiais adequados nas embalagens são estratégias fundamentais para minimizar o impacto ambiental. Essas práticas não apenas reduzem resíduos e a pegada de carbono, mas também desempenham um papel vital na preservação dos recursos naturais e na proteção do meio ambiente.

A análise do impacto das embalagens no meio ambiente revela uma realidade preocupante, com a produção global de mais de 2 bilhões de toneladas de lixo anualmente, colocando o Brasil como o quarto maior produtor de resíduos plásticos. Este cenário é impulsionado pelo aumento do poder aquisitivo e investimentos significativos em novas fábricas e tecnologias. No entanto, a resposta para tornar o uso de embalagens mais sustentável está na otimização e seleção criteriosa de materiais. A escolha de materiais sustentáveis, como papel, papelão, vidro e metais, aliada à utilização de materiais reciclados, biodegradáveis ou compostáveis, emerge como uma estratégia essencial para mitigar o impacto ambiental. Além disso, incentivar os consumidores a reciclar as embalagens e instruí-los sobre o descarte adequado contribui para aumentar a conscientização e promover escolhas mais amigáveis ao meio ambiente. Em resumo, essas práticas não apenas reduzem resíduos e a pegada de carbono, mas também desempenham um papel vital na preservação dos recursos naturais e na proteção do meio ambiente.

1.2 GESTÃO DAS EMBALAGENS

A gestão de embalagens é o processo de planejar, projetar, produzir e gerenciar embalagens de produtos de maneira eficiente e sustentável ao longo de todo o ciclo de vida. Isso envolve a seleção de materiais adequados, o design que minimize o desperdício, a promoção da reciclagem e reutilização, a conformidade com regulamentações ambientais e a conscientização do consumidor sobre o impacto ambiental. A gestão de embalagens visa reduzir o desperdício, economizar recursos naturais, diminuir a pegada de carbono e contribuir para práticas mais responsáveis em relação ao meio ambiente, ao mesmo tempo em que pode trazer benefícios econômicos e de imagem para as empresas.

A logística desempenha um papel essencial na economia global, no entanto, suas operações muitas vezes têm um impacto ambiental significativo, incluindo a emissão de gases poluentes e a geração de resíduos. Diante desse cenário, em 2023, torna-se imperativo que as empresas busquem alternativas para minimizar o impacto ambiental de suas operações logísticas. Este artigo aborda a importância da gestão de embalagens como um componente-chave na busca pela sustentabilidade na logística, com foco na preservação dos recursos naturais e na redução dos impactos ambientais. Outra fonte significativa de impacto ambiental na logística são as embalagens utilizadas no transporte e armazenamento de mercadorias. A adoção de embalagens sustentáveis, feitas a partir de materiais reciclados ou biodegradáveis, pode contribuir substancialmente para a redução do impacto ambiental nessa atividade. Além disso, a utilização de embalagens do tamanho adequado é um passo simples que pode fazer toda a diferença, reduzindo tanto os insumos na fabricação quanto o espaço ocupado durante o transporte. A implementação de práticas de logística reversa, possibilitando a coleta e encaminhamento de embalagens para reciclagem ou reutilização, emerge como uma ferramenta valiosa para reduzir o impacto ambiental.

A gestão de embalagens desempenha um papel crucial na busca por práticas mais sustentáveis na logística. A utilização de veículos eficientes, embalagens sustentáveis, tecnologia e o serviço Fulfillment são estratégias que podem contribuir significativamente para a redução do impacto ambiental nas operações logísticas, preservando os recursos naturais e garantindo a sustentabilidade do planeta. Além disso, a adoção de práticas sustentáveis não apenas beneficia o meio ambiente, mas também oferece vantagens econômicas para as empresas, como a redução de custos e a melhoria da eficiência operacional. Investir em soluções sustentáveis na logística é, portanto, uma escolha inteligente e necessária para as empresas que desejam se manter competitivas e responsáveis em relação ao meio ambiente.

Compreendendo a importância da seleção criteriosa de materiais, do design que minimize o desperdício e da promoção da reciclagem, essa abordagem visa não apenas reduzir o desperdício e economizar recursos naturais, mas também contribuir para a diminuição da pegada de carbono. Além disso, a conformidade com regulamentações ambientais e a conscientização do consumidor sobre o impacto ambiental são elementos essenciais desse processo. A gestão de embalagens não apenas se alinha com a busca pela sustentabilidade ambiental, mas também oferece benefícios econômicos e de imagem para as empresas. Além disso, a gestão eficiente das embalagens na logística não apenas preserva os recursos naturais, mas também oferece vantagens econômicas, como a redução de custos e a melhoria da eficiência operacional. Em resumo, a gestão de embalagens desempenha um papel crucial na busca por práticas sustentáveis na logística, representando uma escolha inteligente e necessária para as empresas que desejam conciliar competitividade e responsabilidade ambiental.

1.2.1 Gestão das Embalagens e Mitigação de Impactos

A gestão eficaz de embalagens desempenha um papel crucial na mitigação dos impactos ambientais nas operações logísticas. Isso não apenas contribui para a sustentabilidade, mas também pode gerar economias substanciais e melhorar a imagem da empresa. Adiante, discutiremos exemplos de boas práticas e estratégias que as empresas têm adotado para reduzir sua pegada ecológica por meio da gestão de embalagens.

A coleta seletiva, que envolve a separação de resíduos com base em suas características, é uma maneira eficaz de melhorar a gestão de embalagens. Ao separar embalagens de papel, plástico, vidro, metal e resíduos orgânicos, as empresas podem facilitar a reciclagem, tornando-a mais viável economicamente. Por contribuir para a redução de resíduos, mas também para a conservação de recursos naturais e a redução da poluição. Além disso, os resíduos separados para reciclagem podem ser vendidos a cooperativas de reciclagem, proporcionando benefícios financeiros. A reciclagem de resíduos é uma prioridade na gestão de resíduos e desempenha um papel fundamental na mitigação dos impactos ambientais. Transformar resíduos em insumos ou novos produtos reduz a produção de rejeitos e evita o acúmulo de resíduos na natureza. Além de reduzir o impacto ambiental, a reciclagem contribui para a limpeza do ambiente, a saúde pública e a geração de empregos.

Identificar e eliminar desperdícios de matéria-prima e energia é uma estratégia eficaz para a gestão de embalagens. Isso inclui controlar as sobras na produção de embalagens plásticas, reutilizando-as como moídos, e reduzir o tamanho das rebarbas para evitar perda de matéria-prima. Como também, a implementação de práticas simples, substituição de lâmpadas fluorescentes por LEDs e o uso de sensores de presença, ajuda a economizar energia. Realizar a implementação da logística reversa, que envolve a coleta e reutilização de produtos e materiais no final de seu ciclo de vida, é uma ferramenta poderosa para a sustentabilidade. Ela contribui para a redução de custos com a aquisição de matéria-prima virgem, além de gerar benefícios financeiros por meio do reaproveitamento de resíduos nos processos.

A transição para sistemas online de controle de documentos é outra maneira eficaz de reduzir o consumo de papel. Isso não apenas economiza recursos naturais, mas também economiza espaço de arquivamento e aumenta a segurança de documentos confidenciais. Reduzir o consumo de papel é uma prática sustentável que demonstra o compromisso da empresa com a redução de resíduos e a eficiência operacional.

Por outro lado, a tecnologia desempenha um papel cada vez mais crucial na busca por soluções sustentáveis na logística. A implementação de sistemas de gestão de estoque e transporte pode otimizar as rotas, reduzir o tempo de transporte e, por consequência, diminuir as emissões de gases poluentes. Ademais, a utilização de sensores e dispositivos inteligentes pode aprimorar o controle das condições de armazenamento e transporte de mercadorias, evitando desperdícios e reduzindo a geração de resíduos. A adoção de soluções tecnológicas não apenas contribui para a eficiência operacional, mas também para a redução do impacto ambiental.

Em resumo, a gestão de embalagens desempenha um papel essencial na mitigação dos impactos ambientais na logística. Ao adotar práticas sustentáveis, como coleta seletiva, reciclagem, redução de desperdícios, logística reversa e uso de embalagens recicláveis, as empresas não apenas reduzem seu impacto ecológico, mas também melhoram sua eficiência operacional e sua imagem perante os clientes e o público em geral. A utilização de um software de gestão de resíduos complementa essas práticas, permitindo uma gestão estratégica e eficaz dos resíduos, contribuindo para um futuro mais sustentável.

A gestão eficaz de embalagens desempenha um papel crucial na mitigação dos impactos ambientais nas operações logísticas, não apenas contribuindo para a sustentabilidade, mas também gerando economias substanciais e melhorando a imagem da empresa. Acrescentando estratégias e boas práticas na gestão de embalagens é fundamental para reduzir a pegada ecológica e promover práticas mais responsáveis. A coleta seletiva, por exemplo, facilita a reciclagem ao separar embalagens de papel, plástico, vidro, metal e resíduos orgânicos, não só contribuindo para a redução de resíduos, mas também para a conservação de recursos naturais e a diminuição da poluição. Além disso, a reciclagem não apenas reduz o impacto ambiental, mas também contribui para a limpeza do ambiente, a saúde pública e a geração de empregos. Em resumo, a gestão de embalagens não apenas mitiga impactos ambientais na logística, mas também melhora a eficiência operacional e a imagem da empresa ao adotar práticas sustentáveis, contribuindo para um futuro mais sustentável.

1.2.2 Inovação e Sustentabilidade em Embalagens

A inovação e a sustentabilidade desempenham um papel fundamental na redução do impacto das embalagens no meio ambiente. Muitas empresas têm reconhecido a importância de adotar embalagens mais sustentáveis e estão colhendo benefícios tanto para o meio ambiente quanto para seus negócios.

Um exemplo notável é a iniciativa da Unilever se comprometeu a tornar todas as suas embalagens de plástico reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis até 2025. Eles também estão desenvolvendo novas embalagens de plástico feitas a partir de resíduos plásticos coletados nos oceanos. Essa abordagem inovadora não apenas reduz o uso de plástico virgem, mas também contribui para a limpeza dos oceanos. No fechamento do ano de 2022, a companhia informa que saltou de 21% para 27% no índice de reciclabilidade. A conquista antecipou em três anos a meta mundial de contar com 25% de plástico pós-consumo utilizado até 2025, ou seja, pós-consumo, nas embalagens de todas as marcas do portfólio brasileiro. Com o compromisso de atribuir valor ao plástico usado e combater diretamente a poluição plástica, a companhia subiu 6 pontos percentuais no índice de reciclabilidade, em comparação com 2021, quando obteve 21%.

Outro caso em destaque, é a empresa Natura que tem um compromisso sólido com a responsabilidade ambiental e a sustentabilidade. Ela tem trabalhado ativamente na redução do impacto de suas embalagens no meio ambiente. A abordagem da Natura vai além das embalagens, a empresa também utiliza métodos de produção sustentáveis e promove a reciclagem de embalagens. Além disso, a Natura adota uma abordagem de venda direta, envolvendo consultores independentes em sua cadeia de distribuição, o que ajuda a educar os consumidores sobre práticas mais responsáveis.

Portanto, a Natura é um exemplo notável de como uma empresa pode obter benefícios tanto para o meio ambiente quanto para seus negócios ao adotar práticas sustentáveis. Em conciliação com a crescente conscientização sobre a importância da responsabilidade ambiental e social, a Natura foi reconhecida em 2017 como a Empresa Sustentável do Ano pelo Guia EXAME de Sustentabilidade. A empresa de produtos de beleza e cuidados com a pele não apenas alcançou sucesso financeiro, movimentando 1,1 bilhão de reais na região Amazônica e obtendo um lucro de 166,7 milhões de reais, mas também se destacou por suas iniciativas sustentáveis. A Natura demonstrou que a busca pela sustentabilidade não é apenas uma tendência, mas uma estratégia eficaz para prosperar nos negócios. Em um contexto mais amplo, a ideia de empresa sustentável é fundamentada em três pilares: econômico, ambiental e social. Envolve a adoção de ações conscientes e éticas, visando não apenas o lucro, mas também o respeito ao meio ambiente e à sociedade. No caso da Natura, o compromisso com práticas sustentáveis não se limitou a estratégias de marketing, mas permeou toda a organização, desde pequenos esforços nos escritórios até a gestão de resíduos.

Portanto, a interseção entre inovação e sustentabilidade desempenha um papel crucial na transformação positiva do impacto das embalagens no meio ambiente. A conscientização crescente das empresas em relação à importância de adotar práticas mais sustentáveis é evidente em iniciativas notáveis, como a da Unilever, que não apenas se comprometeu a tornar suas embalagens mais amigáveis ao meio ambiente, mas também inovou ao desenvolver plástico a partir de resíduos oceânicos, contribuindo para a limpeza dos oceanos. O caso da Natura, por sua vez, destaca como uma empresa pode colher benefícios tanto ambientais quanto comerciais ao abraçar a sustentabilidade de maneira abrangente. Além de suas práticas responsáveis com embalagens, a Natura adota métodos de produção sustentáveis, promove a reciclagem e envolve consultores independentes em sua cadeia de distribuição, educando os consumidores sobre práticas mais responsáveis.

As empresas estão cada vez mais conscientes da importância de adotar práticas sustentáveis, colhendo benefícios tanto para o meio ambiente quanto para seus negócios. Um exemplo notável é a iniciativa da Unilever, que se comprometeu a tornar todas as suas embalagens de plástico reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis até 2025. Além disso, estão desenvolvendo novas embalagens feitas a partir de resíduos plásticos coletados nos oceanos, inovando e contribuindo para a limpeza dos oceanos. A Natura também se destaca, não apenas na abordagem sustentável das embalagens, mas na adoção de métodos de produção sustentáveis e promoção da reciclagem. Além disso, a Natura envolve consultores independentes em sua cadeia de distribuição, educando os consumidores sobre práticas mais responsáveis. A conscientização crescente das empresas sobre a importância de práticas sustentáveis é evidente nessas iniciativas, mostrando que a busca pela sustentabilidade não se limita a estratégias de marketing, mas permeia toda a organização, desde pequenos esforços nos escritórios até a gestão de resíduos. Portanto, a inovação aliada à sustentabilidade destaca-se como um caminho promissor para mitigar o impacto das embalagens no meio ambiente, promovendo práticas mais responsáveis e contribuindo para um futuro mais sustentável.

2. DESAFIOS E OPORTUNIDADES

Apesar dos benefícios evidentes da gestão sustentável de embalagens, as organizações enfrentam desafios significativos ao buscar a implementação de práticas mais responsáveis. Estes desafios podem se manifestar em diversas áreas e requerem abordagens estratégicas para superá-los.

O desafio significativo enfrentado pelas organizações ao buscar a implementação de práticas sustentáveis de gestão de embalagens reside no custo inicial associado a essa transição. A mudança para embalagens mais sustentáveis requer investimentos em materiais e processos inovadores, o que pode resultar em uma carga financeira substancial, principalmente para pequenas e médias empresas que muitas vezes operam com recursos financeiros mais limitados. Esse obstáculo financeiro inicial pode representar uma barreira considerável para a adoção de práticas mais responsáveis, exigindo estratégias e abordagens criativas para viabilizar a transição e garantir a sustentabilidade a longo prazo.

Um desafio adicional a ser ponderado é o da educação do consumidor, que emerge no contexto da conscientização sobre a importância das embalagens sustentáveis. Este desafio é evidenciado pela falta de informação completa entre os consumidores sobre o impacto ambiental das embalagens, muitas vezes resultando em priorização de outros atributos, como conveniência e preço, durante o processo de compra. A falta de consciência sobre as implicações ambientais das escolhas de embalagens pode dificultar a preferência dos consumidores por produtos com embalagens mais sustentáveis. Superar esse desafio requer esforços significativos de educação e conscientização para destacar os benefícios ambientais associados a práticas de embalagem mais responsáveis, proporcionando aos consumidores informações necessárias para tomar decisões informadas e alinhadas com valores ambientais.

O cumprimento das regulamentações ambientais em constante evolução representa um desafio para as empresas envolvidas na gestão de embalagens. A natureza dinâmica das normas exige que as organizações estejam continuamente atualizadas e façam ajustes constantes em suas práticas. A conformidade com as normas em vigor não apenas exige atenção constante às mudanças legais, mas também pode exigir investimentos significativos em termos de recursos humanos e financeiros. Manter-se em conformidade não é apenas uma responsabilidade legal, mas também uma oportunidade para as empresas demonstrarem compromisso com a responsabilidade ambiental e para destacarem suas práticas sustentáveis.

Outro ponto, será a resistência interna é uma barreira comum durante a implementação de mudanças nas práticas de embalagem. Dentro das organizações, especialmente em ambientes onde os colaboradores estão habituados a métodos tradicionais, a introdução de novas abordagens pode encontrar resistência. A educação e o envolvimento da equipe tornam-se elementos cruciais para superar essa resistência. A familiarização dos colaboradores com métodos tradicionais pode resultar em relutância em aceitar mudanças. Portanto, é essencial comunicar efetivamente os benefícios ambientais e estratégicos associados à adoção de práticas mais sustentáveis, promovendo uma compreensão compartilhada e construindo uma cultura organizacional que valorize a inovação e a responsabilidade ambiental.

Prosseguindo para as oportunidades, a diferenciação de marca se apresenta para as empresas que incorporam práticas sustentáveis na gestão de embalagens. Com a crescente conscientização ambiental dos consumidores, a preferência por marcas comprometidas com a sustentabilidade se torna um fator distintivo no mercado. A capacidade de comunicar e demonstrar efetivamente compromissos ambientais através de embalagens sustentáveis não apenas fortalece a reputação da marca, mas também oferece uma vantagem competitiva tangível em um cenário onde a sustentabilidade é cada vez mais valorizada pelos consumidores. Embora inicialmente existam custos associados à transição para práticas sustentáveis de gestão de embalagens, a oportunidade de redução de custos a longo prazo é significativa. A eficiência na gestão de embalagens, a redução de desperdícios e a adoção de práticas sustentáveis contribuem para economias sustentáveis ao longo do tempo. Isso inclui a diminuição dos custos de descarte, o uso mais eficiente de materiais e a criação de uma cadeia de suprimentos mais eficaz e econômica.

A busca por soluções sustentáveis nas embalagens oferece oportunidades para impulsionar a inovação e a colaboração entre empresas e fornecedores. Parcerias estratégicas podem ser formadas com o objetivo de desenvolver materiais inovadores e práticas mais sustentáveis na gestão de embalagens. A colaboração dentro da cadeia de suprimentos não apenas fomenta a inovação, mas também cria um ambiente propício para a troca de conhecimentos e recursos, acelerando o progresso em direção a práticas mais responsáveis.

Empresas que antecipam e se ajustam aos requisitos de mercado relacionados à sustentabilidade têm a oportunidade de ganhar preferência entre os consumidores e evitar possíveis penalidades regulatórias. Conforme a demanda por práticas mais sustentáveis cresce, empresas proativas que respondem a essas mudanças têm a vantagem de estar alinhadas com as expectativas do mercado. A adaptação a padrões e regulamentações ambientais não apenas atende às demandas do consumidor consciente, mas também posiciona as empresas como líderes e inovadoras em seu setor.

Em conclusão, a gestão sustentável de embalagens apresenta desafios substanciais, principalmente no tocante ao custo inicial que representa um entrave significativo, especialmente para empresas de menor porte com recursos financeiros mais limitados. Superar essa barreira demanda estratégias criativas e abordagens inovadoras para viabilizar a transição e garantir a sustentabilidade a longo prazo. Além disso, a educação do consumidor emerge como um desafio adicional, exigindo esforços significativos para aumentar a conscientização sobre o impacto ambiental das embalagens.

No âmbito das oportunidades, destaca-se a diferenciação de marca como um benefício tangível para as empresas que adotam práticas sustentáveis na gestão de embalagens. A crescente conscientização ambiental dos consumidores confere vantagem competitiva àquelas marcas comprometidas com a sustentabilidade. Da mesma forma, a transição para práticas sustentáveis, embora inicialmente onerosa, oferece a perspectiva de redução de custos a longo prazo, impulsionada pela eficiência na gestão de embalagens e pela criação de uma cadeia de suprimentos mais eficaz e econômica.

Além disso, a busca por soluções sustentáveis abre portas para a inovação e colaboração entre empresas e fornecedores, incentivando parcerias estratégicas e o desenvolvimento de materiais inovadores. Por fim, a adaptação às exigências do mercado relacionadas à sustentabilidade não só atende às demandas dos consumidores conscientes, mas também posiciona as empresas como líderes e inovadoras em seus setores. Em meio aos desafios, as oportunidades oferecem um caminho promissor para as organizações que buscam não apenas cumprir as normas ambientais, mas também se destacar como agentes de mudança e responsabilidade ambiental.

A gestão sustentável de embalagens apresenta desafios significativos para as organizações, principalmente no que diz respeito ao custo inicial associado a essa transição. A mudança para embalagens mais sustentáveis demanda investimentos em materiais e processos inovadores, representando uma carga financeira. Superar essa barreira requer estratégias criativas e inovadoras para viabilizar a transição e garantir a sustentabilidade a longo prazo. Além disso, a educação do consumidor emerge como outro desafio, pois a falta de informação completa sobre o impacto ambiental das embalagens pode resultar na priorização de outros atributos durante o processo de compra. No entanto, no âmbito das oportunidades, a diferenciação de marca destaca-se como um benefício tangível para as empresas que adotam práticas sustentáveis na gestão de embalagens. Além disso, a busca por soluções sustentáveis abre portas para a inovação e colaboração entre empresas e fornecedores, incentivando parcerias estratégicas e o desenvolvimento de materiais inovadores. A adaptação às exigências do mercado relacionadas à sustentabilidade não só atende às demandas dos consumidores conscientes, mas também posiciona as empresas como líderes e inovadoras em seus setores. Em meio aos desafios, as oportunidades oferecem um caminho promissor para as organizações que buscam não apenas cumprir as normas ambientais, mas também se destacar como agentes de mudança e responsabilidade ambiental.

3. PROCEDIMENTO METODOLÓGICOS

Este estudo sobre o impacto das embalagens no meio ambiente emprega uma abordagem metodológica mista, combinando métodos quantitativos e qualitativos para obter uma compreensão abrangente das percepções e atitudes dos respondentes. Inicialmente, foi conduzida uma revisão bibliográfica abrangente para embasar teoricamente a pesquisa. O levantamento de dados quantitativos foi realizado por meio de um formulário online, desenvolvido no Google Forms, distribuído a profissionais das áreas de indústria, comércio, serviços e outras categorias. A análise estatística dos resultados proporcionará insights sobre a conscientização, compreensão e comportamento em relação às embalagens sustentáveis. Adicionalmente, conduzimos entrevistas semiestruturadas com uma amostra representativa, explorando detalhes qualitativos e capturando subtilezas que os dados quantitativos podem não evidenciar. Essa abordagem metodológica integrada visa não apenas quantificar as tendências, mas também compreender as motivações subjacentes, proporcionando uma base sólida para a análise e discussão dos resultados.

4. APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS

Figura 1

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A distribuição dos respondentes mostra que a pesquisa envolve profissionais de diversos setores, sendo a maioria proveniente do setor de serviços (52%), seguido por comércio (24%) e indústria (14%). Isso sugere uma representação abrangente de diferentes perspectivas profissionais.

Figura 2

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A alta percentagem de 98% que respondeu "sim" indica uma consciência generalizada sobre o impacto ambiental das embalagens, demonstrando uma compreensão difundida sobre a relevância do tema.

Figura 3

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A maioria dos respondentes (76%) afirma ter um conhecimento moderado sobre práticas sustentáveis de gestão de embalagens. No entanto, 24% reconhecem ter pouco conhecimento, sugerindo a necessidade de educação e conscientização contínuas sobre o assunto.

Figura 4

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A distribuição das respostas indica que uma parte significativa dos consumidores considera a sustentabilidade das embalagens em suas decisões de compra. No entanto, a presença de respostas como "Raramente" e "Nunca" destaca que há espaço para aumentar a conscientização e a importância atribuída à sustentabilidade.

Figura 5

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A predominância do preço (84%) como fator de influência destaca a importância econômica nas decisões de compra. No entanto, a presença de outras considerações, como design de embalagem (26%) e sustentabilidade (20%), sugere uma diversidade de fatores que podem influenciar as escolhas dos consumidores.

Figura 6

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A maioria (66%) dos respondentes expressa ceticismo quanto aos esforços das empresas na adoção de práticas sustentáveis de gestão de embalagens. Esse resultado destaca a percepção de que ainda há um longo caminho a percorrer para atender às expectativas dos consumidores em relação à sustentabilidade.

Figura 7

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

Os desafios mais apontados incluem custos iniciais elevados (74%) e a necessidade de educar os consumidores (68%). Esses dados sugerem que, embora haja reconhecimento da importância da sustentabilidade, as barreiras financeiras e a necessidade de conscientização continuam a ser obstáculos significativos.

Figura 8

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

A maioria dos respondentes (60%) acredita que as empresas sustentáveis têm uma vantagem competitiva. Isso sugere uma percepção positiva em relação aos benefícios comerciais associados à adoção de práticas sustentáveis de gestão de embalagens.

Figura 9

 50 respostas

Fonte: Google Forms (O Impacto das Embalagens no Meio Ambiente)

10 - Você gostaria de compartilhar alguma experiência pessoal ou opinião adicional sobre o tema?

A décima pergunta da pesquisa, que convidou os participantes a compartilharem experiências pessoais e opiniões adicionais sobre o impacto das embalagens no meio ambiente, revelou uma riqueza de perspectivas entre os respondentes. Dos 50 participantes, 18 optaram por não compartilhar suas experiências adicionais, enquanto 32 pessoas contribuíram com insights valiosos, enriquecendo nossa compreensão do tema.

Para os 18 participantes que declinaram de compartilhar experiências adicionais podem indicar diversas razões para essa escolha. Pode ser atribuído a uma falta de tempo, falta de interesse ou até mesmo a ausência de experiências pessoais significativas relacionadas ao tema. Essas respostas, embora numericamente minoritárias, também são importantes para compreender a diversidade de engajamento e interesse na questão ambiental.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A pesquisa propõe uma investigação sobre a gestão sustentável de embalagens, explorando não apenas o cenário atual, mas também os desafios e oportunidades enfrentados pelas organizações na busca por práticas mais responsáveis, visto que a conscientização ambiental tem ocupado um papel central em discussões globais sobre sustentabilidade, levando empresas e consumidores a repensar suas práticas e comportamentos.

Diante do que foi proposto na pesquisa e o os resultados obtidos no formulário, é possível identificar que há uma consciência generalizada sobre o impacto ambiental das embalagens e que a sustentabilidade é um fator importante para os consumidores, entretanto ainda há desafios a serem vencidos, como por exemplo, o fato de no momento da decisão de compra, o preço do produto continua ser o fator de maior influência na decisão de compra e o ceticismo generalizado em relação aos esforços das empresas na adoção de práticas sustentáveis de gestão de embalagens.

O estudo abordou diversos objetivos específicos relacionados à gestão de embalagens e sustentabilidade. No primeiro objetivo, o foco estava no impacto ambiental de diferentes materiais de embalagem, com destaque para papel e plástico, embora pudesse ter explorado outros materiais mais aprofundadamente. O segundo objetivo identificou desafios enfrentados pelas empresas ao adotarem práticas sustentáveis, como custos iniciais, resistência dos colaboradores e falta de conscientização do consumidor. Já o terceiro objetivo apresentou propostas de mitigação, como logística reversa e uso de tecnologia. O quarto objetivo destacou os casos de sucesso da Unilever e da Natura, evidenciando o impacto positivo nas empresas e no meio ambiente. Por fim, o quinto objetivo revelou a percepção dos consumidores sobre embalagens sustentáveis, indicando uma consciência crescente, mas também apontando desafios para transformar essa consciência em ações efetivas no dia a dia.

Entretanto, mesmo diante de todo assunto abordado e por mais que os temas tenham sido bem desenvolvidos, ainda assim foi de uma forma mais introdutória e que houve algumas insuficiências, no entanto, apesar dessas debilidades, acredito que este artigo pode servir como pontapé inicial para o desenvolvimento de outros projetos, no qual, é possível mergulhar ainda mais a fundo em um dos objetivos específicos e utilizar-se dos dados levantados para novos projetos, como por exemplo, o comportamento do consumidor em relação às embalagens ou até o impacto dos outros tipos de embalagens, que não foram tão mencionadas. Por fim, o presente artigo teve como objetivo analisar o impacto das embalagens no meio ambiente e diante de tudo aquilo que aqui foi exposto, acredito que o ensinamento mais relevante tenha sido na questão da conscientização da sociedade, sobre o real impacto de algo que é presente no cotidiano mundial e de que é possível mitigar, basta que todos façam a sua parte.

Ao concluir esta pesquisa sobre o impacto das embalagens no meio ambiente, observamos que os objetivos propostos foram alcançados de maneira satisfatória, empregando uma metodologia mista que combinou métodos quantitativos e qualitativos, conseguindo explorar as percepções e atitudes dos profissionais de diversos setores. Os resultados indicam uma consciência generalizada sobre o impacto ambiental das embalagens, mas também destacam lacunas no conhecimento sobre práticas sustentáveis. A influência predominante do preço nas decisões de compra revela desafios econômicos, enquanto a descrença em relação aos esforços empresariais destaca a necessidade de melhorias na implementação de práticas sustentáveis.

Ao analisar os resultados, observamos uma consciência generalizada (98%) sobre o impacto ambiental das embalagens, indicando uma compreensão difundida da relevância do tema. Entretanto, a pesquisa destacou lacunas de conhecimento, com 24% dos respondentes reconhecendo ter pouco entendimento sobre práticas sustentáveis de gestão de embalagens. Além disso, a influência predominante do preço nas decisões de compra (84%) ressalta a importância econômica, apesar de uma considerável parcela de consumidores (20%) indicar a sustentabilidade como um fator relevante.

Os dados revelam uma postura cautelosa (66%) em relação aos esforços das empresas na adoção de práticas sustentáveis, evidenciando a percepção de que há um longo caminho a percorrer para atender às expectativas dos consumidores. Os desafios apontados, como custos iniciais elevados (74%) e a necessidade de educar os consumidores (68%), sinalizam obstáculos significativos para a implementação efetiva de práticas sustentáveis de gestão de embalagens.

Em relação aos objetivos, a pesquisa proporcionou insights significativos, mas sugere a necessidade contínua de educação e conscientização para preencher lacunas de conhecimento. Sugere-se que estudos futuros ampliem a diversidade da amostra e incorporem métodos mais variados, como observações de comportamento de compra, para uma compreensão mais ampla. Recomendamos estratégias educacionais mais potentes para consumidores e profissionais, visando promover práticas sustentáveis de gestão de embalagens.

Reforçando a justificativa desta pesquisa, os resultados indicam a necessidade contínua de conscientização e educação sobre práticas sustentáveis de gestão de embalagens. A presença de fatores como preço como determinante nas decisões de compra ressalta a complexidade das considerações dos consumidores, reforçando a importância de estratégias abrangentes de sensibilização.

Em resumo, este estudo fornece uma base sólida para compreender o atual cenário de percepções e atitudes em relação ao impacto das embalagens no meio ambiente. No entanto, para uma abordagem mais completa e eficaz na implementação de práticas sustentáveis, é fundamental a continuidade dessa investigação, buscando respostas mais aprofundadas e soluções mais efetivas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LIXO plástico: os impactos na natureza e por que é preciso reduzir o consumo. BRK Ambiental, 2020. Disponível em: https://blog.brkambiental.com.br/lixo-plastico/#. Acesso em 05 nov. 2023

LOGÍSTICA e sustentabilidade: como suas entregas podem gerar menos impacto ao meio ambiente. Estoca Blog, 2023. Disponível em: https://blog.estoca.com.br/logistica-e-sustentabilidade-como-suas-entregas-podem-gerar-menos-impacto-ao-meio-ambiente/. Acesso em: 08 nov. 2023.

Natura: Natura é uma das empresas mais sustentáveis do mundo, 2020. Disponível em: <https://www.natura.com.br/blog/mais-natura/natura-e-uma-das-empresas-mais-sustentaveis-do-mundo>. Acesso em: 09 nov.2023.

ONU Brasil: Humanidade produz mais de 2 bilhões de toneladas de lixo por ano, diz ONU em Dia Mundial, 2018. Disponível em: <https://brasil.un.org/pt-br/81186-humanidade-produz-mais-de-2-bilhoes-de-toneladas-de-lixo-por-ano-diz-onu-em-dia-mundial>. Acesso em: 11 nov. 2023.

PASSO a passo de como fazer compensação ambiental de embalagens. Eureciclo, 2021. Disponível em: https://blog.eureciclo.com.br/passo-a-passo-compensacao-ambiental-embalagens/. Acesso em: 12 nov. 2023.

Resíduo All: O impacto dos resíduos de embalagens no meio ambiente, 2017. Disponível em: <https://residuoall.com.br/2017/03/29/o-impacto-dos-residuos-de-embalagens-no-meio-ambiente/>. Acesso em: 21 out. 2023.

Senado Federal: Estudo do Senado aponta necessidade de leis para deter poluição por plásticos, 2021. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2021/07/28/estudo-do-senado-aponta-necessidade-de-leis-para-deter-poluicao-por-plasticos>. Acesso em: 05 nov. 2023.

Unilever Brasil: Unilever antecipa meta de uso de plástico reciclado do Brasil, 2023 Disponível em: <https://www.unilever.com.br/news/press-releases/2023/unilever-antecipa-meta-de-uso-de-plastico-reciclado-do-brasil/>. Acesso em: 11 nov. 2023.

Unilever: A Unilever compromete-se a utilizar embalagens de plástico 100% reciclável até 2025, 2017. Disponível em: <https://www.unilever.com.br/news/2017/a-unilever-compromete-se-a-utilizar-embalagens-de-plastico-100-reciclavel-ate-2025/>. Acesso em: 08 nov. 2023.


1 E-mail: [email protected]
2 E-mail: [email protected]
3 Professor-orientador: [email protected]